A Fundação Demócrito Rocha (FDR) nos seus 36 anos de existência sempre celebrou o aniversário de Fortaleza, cidade que acolhe a sua sede, assim como a promoveu, buscou-lhe  sentidos e significados, resgatou e difundiu seu patrimônio material e imaterial, provocou debates sobre os seus problemas, assim como apoiou os seus sucessos.

 

Não poderia deixar de fazê-lo agora, quando a cidade, em seus 295 anos, passa por um estado de pandemia, na qual a reinvenção, a criatividade, a resistência, a solidariedade e uma boa dose de paciência se fazem mais do que necessários.

É quando a SAUDADE rima com a CIDADE, que a FDR, em parceria com a SecultFOR, neste aniversário lança 2 presentes: o álbum Fortaleza Ilustrada e o documentário A Fortaleza da Cultura.

Fortaleza Ilustrada

[…] Outra vez o silêncio e passos cautelosos…

E ainda bebendo as derradeiras notas da última canção

Fortaleza sorria…

 

Sânzio de Azevedo

O álbum Fortaleza Ilustrada é uma iniciativa da Fundação Demócrito Rocha, por meio de suas Edições Demócrito Rocha (EDR), em parceria com a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (SecultFOR), com o objetivo de celebrar os 295 anos da cidade de Fortaleza (13 de abril de 2021). A publicação (120 páginas, completamente coloridas) reúne 86 artistas, entre escritores (romancistas, contistas, cronistas, poetas, cordelistas, dramaturgos, compositores, ensaístas) e artistas plásticos/visuais, quadrinistas e ilustradores que, em pares criados espontaneamente, versam sobre 43 exemplares do patrimônio material (bens tombados provisória ou definitivamente) e imaterial (bens registrados) de Fortaleza. Nem todos os autores são cearenses, mas todos são radicados em Fortaleza.

Como de costume nos projetos coordenados pela FDR, procuramos agrupar destacados artistas de extensa trajetória a artistas neófitos, contudo talentosos, alguns que, inclusive, estrearam agora nesta publicação, não nos restringindo a grupos específicos e contribuindo para a maior pluralidade e diversidade de participação e de vozes.

A inspiração da obra veio da publicação Rosario Ilustrada: guía literaria de la ciudad (2004), uma realização da Secretaría de Cultura y Educación de Rosário, organizada por Martin Pietro e Nora Avaro, que reunia textos escritos entre 1901 e 2004, e cujo cenário de fundo era a cidade de Rosário, a terceira mais populosa da Argentina, localizada próxima a Buenos Aires.

 

Todos os colaboradores desta obra foram elencados um a um durante a pandemia de 2020. Foi nessa atípica ambiência que os 86 artistas que compõem este álbum nos disponibilizaram as suas criações.

Daí o slogan, mais que oportuno, de nossa campanha: “Quando a SAUDADE rima com a CIDADE: Fortaleza 295 anos.”

“Saudade” é a palavra do momento. Saudade dos abraços, dos sorrisos, da convivência, de quem partiu, de estar na rua, de caminhar sem medo ou reservas, saudade da cidade.

 

Nosso álbum Fortaleza Ilustrada é um convite para que todos possam cumprir esse roteiro de saudade e de beleza, percorrendo, por meio do olhar desses artistas, seja pelas imagens ou pelos textos repletos de memórias, afetos e mesmo de ficções, os caminhos dessa cidade que nos abriga, nos acolhe, nos reconhece e abraça.

Parabéns, Fortaleza. E resista: vai passar!

Disponível Aqui

Esta publicação é parte integrante do projeto Formação de Mediadores de Educação Patrimonial, em decorrência do Termo de Fomento celebrado entre a Fundação Demócrito Rocha (FDR) e a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (SecultFOR), sob o nº 02/2019.

A Fortaleza da Cultura

Documentário

O documentário em média-metragem A Fortaleza da Cultura (35 min), iniciativa da Fundação Demócrito Rocha em parceria com a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (SecultFOR), se une ao Álbum Fortaleza Ilustrada na celebração dos 295 anos da cidade de Fortaleza (13 de abril de 2021).

 

O doc tem como objetivo apresentar ao público as experiências coletivas criativas e criadoras existentes na cidade, despertando a reflexão e o debate sobre a cidade e seu campo e diversidade cultural, o nosso repertório urbano, a preservação de nossas identidades, as manifestações tradicionais populares, em especial, nos bairros da periferia, “os mais ricos espaços de criação de modos de vida e de experimentação estética”. (Fortaleza 2040).

 

Nele, convidamos alguns representantes da resistência de nossa cultura, riqueza transmitida de geração a geração, para nos apresentar o que fazem, como fazem e o que sentem, e a sua história, de onde veio e para aonde vai: mestre Zé Pio (Boi Ceará)/Barra do Ceará, mestre Kiliano (reisado Nossa Senhora de Fátima) /Barra do Ceará, Bruno Perdigão (Bloco Carnavalesco Luxo da Aldeia)/Mercado dos Pinhões, Zé Testinha (quadrilha Zé Testinha)/Vila União, Edmar Freitas (quadrilhas juninas)/Messejana), mestre Lula e mestra Karla (Capoeiristas da Associação Zumbi Capoeira)/Granja Portugal e Raimundo Praxedes e Janaína Baobá (Maracatu Nação Baobá)/Bela Vista.

 

Esperamos que apreciem, curtam e compartilhem essas histórias d’ A Fortaleza da Cultura.

Este documentário é parte integrante do projeto Estratégias de Cultura e Arte para o futuro: capacitação de agentes culturais, em decorrência do Termo de Fomento celebrado entre a Fundação Demócrito Rocha (FDR) e a Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (SecultFOR), sob o nº 02/2020.

APOIO
REALIZAÇÃO
Back to top