EXPO PATRIMONICA

Patrimônio Cultural Material
e Imaterial do Ceará

A Fundação Demócrito Rocha (FDR), como parte do projeto Formação de Mediadores de Educação Patrimonial, uma parceria com a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (SecultFOR), apresenta a EXPO PATRIMÔNICA, uma série de conteúdos em diversos formatos: artigos históricos extraídos do acervo do jornal O POVO, vídeos/documentários, filmes, entrevistas, entre outros acervos relacionados à riqueza e à diversidade patrimonial material e imaterial do Ceará.

Você é nosso(a) convidado(a) para caminhamos juntos por essas galerias digitais, nas quais encontrará um breve recorte da experiência imersiva da FDR nesta temática durante 36 anos de atuação no país.

A nossa exposição na modalidade virtual ganha perenidade, podendo ser acessada e também compartilhada, não apenas aos limites do estado, mas a todos os interessados de qualquer parte do Brasil. Você que tem interesse e sabe a importância do patrimônio, não pode deixar de passar por aqui.

Visite-nos e, se gostar e lhe interessar, COMPARTILHE e divulgue o que nós temos de melhor.


Raymundo Netto

Curador da Expo Patrimônica

COLETANEA DE ARTIGOS

Publicados no jornal o povo a partir da década de 1930 aos primeiros anos do século 21

A nossa equipe de pesquisa, após uma busca apurada no acervo do jornal O POVO, fundado em 1928, constituindo-se o periódico mais antigo em exercício no estado do Ceará, traz nesta seção alguns artigos e matérias publicados sobre o tema Patrimônio.

Optamos em manter os artigos da maneira como foram publicados em sua época.

OS CEARENSES

Conhecer para se reconhecer!” é o lema deste que é um dos maiores projetos audiovisuais que versa sobre a história do Ceará e a promoção e preservação de seu patrimônio cultural, histórico e artístico.

Desde 2011, com o apoio de diversos parceiros, a FDR apresentou em seis temporadas a histórias de grandes personagens, nascidos no Ceará ou aqueles que, mesmo sem ser cearenses, deixaram no estado o seu maior legado. São personagens de diversos segmentos: artístico, literário, político, religioso, filosófico, além de manifestações culturais, entre outros.

Ao todo, são mais de 50 documentários que trazem, também às novas gerações, uma provocação para conhecer um pouco mais de sua história e identidade.

Nesta seção, uma amostra desse trabalho, representada por 18 títulos selecionados. Esperamos que apreciem e compartilhem.

REVISTA MARACAJA

O Movimento Modernista no Ceará

A revista Maracajá, suplemento literário lançado pelo jornal O POVO em 1929, por meio de seu editor, jornalista e poeta Demócrito Rocha, com apoio editorial de Paulo Sarasate e Mário de Andrade do Norte e a participação dos maiores nomes cearenses da nova corrente modernista, foi um marco para a promoção dos talentos que despontavam na época.

O jornal O POVO, em seus artigos, seções, colunas já cumpria o papel de veículo agregador e difusor desses autores e artistas dos primeiros tempos da corrente no estado. O Maracajá consolidou esse projeto de expansão modernista – ou “futurista”, como alguns se denominavam – e apresentou esses nomes para o eixo Sul-Sudeste do país, como relataria anos mais tarde uma de suas componentes, a escritora Rachel de Queiroz.

Em 2019, com apoio da SecultFOR e Assembleia Legislativa, a FDR celebrou os 90 anos da revista, por meio da publicação de 6 edições, completamente ilustradas, e de 6 videoentrevistas, contando com a participação de mais de 100 autoras e autores cearenses (ou radicados no Ceará), nos mais diversos gêneros literários e expressões artísticas.

Nesta seção, nosso visitante conhecerá a revista Maracajá e poderá usufruir de sua prazerosa leitura, assim como assistir às videoentrevistas.

Esperamos que curta e, se realmente gostar, compartilhe.

Maracajá Fevereiro

Cique para ler

Maracajá Fevereiro

Cique para ler

Maracajá Fevereiro

Cique para ler

Maracajá Fevereiro

Cique para ler

Maracajá Fevereiro

Cique para ler

Maracajá Fevereiro

Cique para ler

ALBUM FORTALEZA ILUSTRADA

O álbum Fortaleza Ilustrada, iniciativa da Fundação Demócrito Rocha, por meio de suas Edições Demócrito Rocha (EDR), em parceria com a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (SecultFOR), surgiu com o objetivo de celebrar os 295 anos da cidade de Fortaleza (13 de abril de 2021), a partir de divulgação de seu patrimônio material e imaterial, povoando, através da literatura, o imaginário do público leitor, ao mesmo tempo que se pretendia sensibilizá-lo e despertar-lhe o sentimento de pertença.

A publicação (120 páginas, completamente coloridas) reuniu 86 artistas, renomados e iniciantes, entre escritores (romancistas, contistas, cronistas, poetas, cordelistas, dramaturgos, compositores, ensaístas) e artistas plásticos/visuais, quadrinistas e ilustradores que, em pares criados espontaneamente, versam sobre 43 exemplares do patrimônio material (bens tombados provisória ou definitivamente) e imaterial (bens registrados) de Fortaleza.

O álbum é, portanto, um convite para que todos possam cumprir esse roteiro de saudade e de beleza, percorrendo, por meio do olhar desses artistas, seja pelas imagens ou pelos textos repletos de memórias, afetos e mesmo de ficções, os caminhos dessa cidade que nos abriga, nos acolhe, nos reconhece e abraça.

Não hesite, se gostar do que viu, compartilhe.

A FORTALEZA DA CULTURA

Nesta seção, os visitantes poderão assistir, na íntegra, o documentário em média-metragem A Fortaleza da Cultura (35 min), iniciativa da Fundação Demócrito Rocha em parceria com a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (SecultFOR), que se uniu ao Álbum Fortaleza Ilustrada na celebração dos 295 anos da cidade de Fortaleza (13 de abril de 2021), com o objetivo apresentar ao público as experiências coletivas criativas e criadoras existentes na cidade, despertando a reflexão e o debate sobre a cidade e seu campo e diversidade cultural, o nosso repertório urbano, a preservação de nossas identidades, as manifestações tradicionais populares, em especial, nos bairros da periferia, “os mais ricos espaços de criação de modos de vida e de experimentação estética”. (Fortaleza 2040).

Integram esse documentário, o mestre Zé Pio (Boi Ceará)/Barra do Ceará, mestre Kiliano (reisado Nossa Senhora de Fátima)/Barra do Ceará, Bruno Perdigão (Bloco Carnavalesco Luxo da Aldeia)/Mercado dos Pinhões, Zé Testinha (quadrilha Zé Testinha)/Vila União, Edmar Freitas (quadrilhas juninas)/Messejana), mestre Lula e mestra Karla (Capoeiristas da Associação Zumbi Capoeira)/Granja Portugal e Raimundo Praxedes e Janaína Baobá (Maracatu Nação Baobá)/Bela Vista.

Esperamos que apreciem, curtam e compartilhem essas histórias d’ A Fortaleza da Cultura.

Este documentário é parte integrante do projeto Estratégias de Cultura e Arte para o futuro: capacitação de agentes culturais, em decorrência do Termo de Fomento celebrado entre a Fundação Demócrito Rocha (FDR) e a Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (SecultFOR), sob o nº 02/2020.

PADRE CICERO, O FILME

“Padre Cícero, o filme” é uma ação de resgate, registro, documentação e formação de acervo literário e audiovisual da produção cinematográfica brasileira, por meio da difusão e relançamento da obra “Padre Cícero: os milagres de Juazeiro”, primeiro longa-metragem colorido do Ceará, filmado em 1975, sendo também o primeiro do gênero ficcional sobre a vida de padre Cícero Romão Batista (1844-1934).

O projeto, apoiado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura, tem como produtos principais:

Livro Padre Cícero: o filme

De autoria de Raymundo Netto, fruto de pesquisa em banco de dados de jornais e coleta de conteúdo e material em posse dos atores e diretores, que conta os primeiros 50 anos do cinema do Ceará (1924-1974), as biografias breves dos seus principais agentes, produtor Francisco Martins de Morais, diretor e roteirista Helder Martins de Moraes e a produtora executiva Elvira Sá de Morais, a história do filme em si, a ficha técnica e algumas fotos ilustrativas da época, e, anexo à obra, em simulação fac-similar, o roteiro original do filme. Ao todo, mais de trezentas notas complementam a pesquisa histórica da obra;

Reprodução do pôster

Em formato original, de autoria o ilustrador gaúcho José Luiz BENÍCIO, autor de mais de trezentos cartazes do cinema nacional, em especial, no período do Cinema Novo, encartado ao livro;

stone therapy

The best beauty Spa

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting
industry. Lorem Ipsum has been the industry’s standard dummy.

Kit-estojo com 2 DVDs

No primeiro, um documentário de 48min, inédito (legendado), com a participação de alguns atores e membros da equipe técnica do filme e de moradores da cidade de Rosário, sede do set de filmagem em 1975, além de cenas do filme; e, no segundo, o filme original de 1976 e o trailer da época.

Importante ressaltar que o filme, o mais caro produzido naquele ano, teve seu primeiro lançamento em 1976, durante o Festival de Gramado e, posteriormente, no mesmo ano, foi lançado simultaneamente em diversos estados do país, conquistando o Prêmio da Associação de Críticos de Arte de São Paulo, categoria “figurino” (Walden Luiz), em 1977. Sua ficha técnica é invejável, trazendo, em sua produção e elenco, muitos dos maiores nomes do cinema e da televisão da década de 1970, como Jofre Soares, José Lewgoy, Rodolfo Arena, Dirce Migliaccio, Cristina Aché, Ana Miranda (a, hoje, escritora), Nildo Parente e Manfredo Colasanti, além dos cearenses Ricardo Guilherme, Haroldo Serra, Walden Luiz, Marcus Miranda, entre outros. 

Documentário Padre Cícero: o filme

Padre Cícero: os milagres do Juazeiro

Caso tenha interesse em adquirir esse combo completo clique no botão abaixo.

COLECAO ESPECIAIS: PATRIMONIO, CULTURA E ARTE

A Coleção Especiais:  patrimônio, cultura e arte se configura numa grande seleção de registros audiovisuais disponibilizados agora em formato seriado de revista eletrônica em 20 episódios, uma parceria original da Fundação Demócrito Rocha com a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (SecultFOR).

Para a execução do projeto, a FDR, além das imagens e entrevistas captadas para acrescer a esses vídeos, utilizou imagens e entrevistas EXCLUSIVAS do arquivo do Canal FDR (anterior TV O POVO) e também disponibilizadas pelo Banco de dados do jornal O POVO.

A série, acima de tudo, constitui um conteúdo videográfico histórico valioso de revelação de nosso patrimônio imaterial e que fará o(a) visitante refletir: história, jornalismo, literatura, manifestações e expressões tradicionais e populares, dança, teatro, música (instrumental e popular), humor, audiovisual, cultura POP, quadrinhos, artes visuais e muito mais.

Você é nosso (a) convidado(a) para navegar conosco pelas águas, por vezes, caudalosas do tempo e na barca PATRIMÔNICA.

ECONOMIA CRIATIVA

O projeto Economia Criativa, iniciativa do Instituto Albaniza Sarasate com apoio da Oi Futuro, foi composto de 3 títulos, entre os quais selecionamos 2 que acreditamos ser do interesse de nosso(a) visitante: Edição e Produção de Folhetos de Cordéis, de Arievaldo Viana, e Edição e Produção de Fanzines, de Weaver Lima.

A EXPOSIÇÃO PATRIMÔNICA é parte integrante do projeto Formação de Mediadores de Educação Patrimonial, em decorrência do Termo de Fomento celebrado entre a Fundação Demócrito Rocha e a Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza, sob o nº 02/2019.

APOIO
REALIZAÇÃO